OSTEOTOMIAS

A Osteotomia do Joelho, especificamente do osso da tíbia, se trata de um procedimento cirúrgico que pode ser recomendado caso o paciente apresente artrose de um, e apenas um, dos compartimentos do joelho. O termo “osteotomia” se refere ao corte do osso para uma correção do eixo do membro inferior, no caso do joelho, para alteração da área de pressão dentro do joelho. Pode ser feita para outras patologias, como pós re-lesão do ligamento cruzado anterior (LCA) em joelhos varos, como procedimento de “prevenção” para novas lesões, etc.

Para que fique mais claro e elucidativo, repare nas figuras abaixo. Observe que o joelho apresenta dois compartimentos, um ao lado de fora da perna e outro ao lado de dentro.

Dr. Marcelo Tostes Dr. Marcelo Tostes: Cirurgia - Osteotomia

O procedimento envolve a remoção ou adição de uma cunha de osso para sua tíbia superior ou inferior fêmur, para ajudar a mudar o peso do corpo para fora da parte danificada de seu joelho.

A Osteotomia do Joelho é mais comumente realizada em pessoas que podem ser consideradas muito jovens para uma substituição total do joelho. A substituição total do joelho por prótese de joelho tem a desvantagem de se desgastar muito mais rapidamente em pessoas com menos de 55 anos do que em pessoas com mais de 70 anos. Muitas pessoas que se submetem à Osteotomia de Joelho eventualmente precisarão de uma substituição total do joelho, ou Prótese do Joelho, geralmente cerca de 10 a 15 anos após a Osteotomia.

Observe que apenas um dos compartimentos, no caso o compartimento interno ou medial, apresenta um pinçamento. Não existe cartilagem ou menisco suficientes para evitar o contato entre um osso e outro, no caso o fêmur e a tíbia. Veja que na região externa existe um espaço entre ambos os ossos, o que não acontece na região interna, onde existe um círculo vermelho.

Qual é a origem desta doença?

Acredita-se que a patologia, no caso a artrose de um dos compartimentos de carga do joelho, aconteça por uma pressão aumentada deste compartimento afetado. Existem algumas causas que explicam a evolução desta artrose. Cito algumas:

– Alteração do eixo da perna por causa genética ou por fraturas prévias;
– Mesniscectomia prévia, ou seja, quando se retira uma grande parte do menisco que protege o contato entre os ossos (a pressão no compartimento onde o menisco foi retirado é aumentada e causa evolução rápida da Artrose);
– Excesso de sobrepeso, alteração/fraqueza muscular;

Dr. Marcelo Tostes Dr. Marcelo Tostes: Na alteração de eixo dos membros inferiores, como nos joelhos varus e valgus, existe uma pressão aumentada dos compartimentos do joelho apontada pelas setas vermelhas.Como ocorre a evolução desta doença?

À medida que a Artrose evolui, a alteração do eixo do joelho pode aumentar cada vez mais, podendo comprometer todo o joelho. Normalmente, o paciente refere dores na região afetada pela Artrose, seja do lado de dentro ou de fora do joelho.

Como é feita a cirurgia?

Trata-se de uma retirada ou colocação de cunha na região do osso da tíbia ou fêmur para correção do eixo da perna e, consequente, diminuição da pressão aumentada sobre o compartimento com artrite/artrose.

Seu médico ortopedista deverá fazer uma avaliação precisa da alteração do eixo da perna para acompanhar a evolução do ângulo de alteração e, caso opte pela cirurgia, usará este ângulo para retirar ou adicionar a cunha óssea de correção do eixo da perna (membro inferior).

Dr. Marcelo Tostes Dr. Marcelo Tostes: Cirurgia - Osteotomia

Quando se deve operar?

A cirurgia só deve ser indicada quando existe a certeza de que realmente há uma artrose e que a alteração do eixo do membro inferior irá melhorar os sintomas.
Raramente esse tipo de cirurgia é indicada. Trata-se se uma cirurgia de grande porte e, como todas as cirurgias, envolve riscos. Por isso, seu médico ortopedista deve lançar mão de todo o tipo de arsenal terapêutico, do menos invasivo ao mais invasivo, deixando esse tipo de cirurgia como última alternativa de tratamento.